Como emitir Nota Fiscal pelas vendas realizadas?

Walmart encerra vendas online no Brasil: saiba por que e entenda os impactos
10 de maio de 2019
Estratégias de pós-venda no marketplace
24 de maio de 2019
Mostrar Todos

Para a emitir de notas fiscais, é preciso saber em qual categoria se enquadra para a emissão das notas no departamento certo, pois existem tipos de notas  fiscais.

Nota fiscal avulsa

Esse tipo de nota fiscal é a forma mais simplificada para microempreendedores, mas não são todos os estados que a aceitam. Para emitir é preciso ir à prefeitura da cidade, se não puder ser pedida online no site do órgão. Assim, o microempreendedor saberá sobre a existência deste tipo de nota fiscal no seu estado e, havendo a possibilidade de emissão, sendo informado os documentos necessários.

Nota fiscal avulsa eletrônica – NFA-e

Ela se parece com a nota fiscal avulsa, mas possui a diferença de ser eletrônica. Para fazer a emissão desta nota, é só seguir os mesmos passos da
nota avulsa. Mas, também, somente alguns estados disponibilizam este tipo de serviço.

Notas fiscais eletrônicas – NF-e

Elas não são obrigatórias, mas também podem ser emitidas por microempreendedores. Os profissionais devem saber que precisarão cumprir os mesmos requisitos das empresas em que o processo é obrigatório pelo

Simples Nacional

A emissão de notas fiscais eletrônicas precisa da autorização da secretaria da fazenda de seu estado (SEFAZ) para ganhar um certificado digital para assiná-las. Deve-se obter o emissor de notas que é um programa de empresas privadas que o comercializam ou fazer um download gratuito de emissor pelo site da SEFAZ.

Nota fiscal para pessoa física

Esse tipo de nota é o uso de pessoas físicas que, ainda, não abriram as suas empresas. A pessoa que deseja emiti-la precisar ir a prefeitura da cidade e fazer a sua inscrição como um prestador de serviços autônomo. Depois de emitir a nota, a pessoa física terá que pagar o imposto municipal, mas é necessária uma verificação se a atividade irá reter os valores de INSS e IR.
Há estados que fazem a disponibilização do recurso online para emissão de notas avulsas para pessoas físicas. Para isso, é preciso ir ao site da Secretaria da Fazenda do local em que mora e verificar a disponibilização online.

Quando emitir a nota para pessoa física

Para quem realiza vendas ou faz a prestação de serviços para outras empresas, a emissão de nota fiscal é obrigatória. Apesar de não ser obrigatória a emissão de notas fiscais em certas ocasiões, é
obrigatório durante a aquisição de mercadorias ou serviços prestados. Um microempreendedor Individual (MEI) fica isento da necessidade de emitir notas das vendas de produtos ou da prestação de serviços para os consumidores finais, a exceção se o consumidor pedir a sua emissão. A emissão de notas fiscais eletrônicas não é obrigatória para o microempreendedor, mesmo que ele faça suas vendas fora do estado em que atua. No caso de utilização de transportadoras para enviar as mercadorias, seja para dentro ou fora do estado, é obrigatório a emissão da nota fiscal para pessoa a física ou jurídica. Quando um microempreendedor, obtém mercadorias usadas de pessoas físicas que não possuem uma nota fiscal, é preciso emitir uma nota de entrada
por meio de seu próprio talão de notas, ou fazer uma solicitação para a emissão de uma nota avulsa. Para outros casos, a emissão de notas fiscais é obrigatória.

Como cuidar da nota fiscal

As notas fiscais sempre devem ser guardadas na compra de produtos e serviços para que possam ser mostradas com as outras para o contador responsável no caso de um serviço contábil terceirizado. Se o microempreendedor não possui o seu contador particular, ele deverá emitir uma nota de encerramento para escrituração online no site da prefeitura da cidade de forma mensal. Nas notas emitidas devem ser especificado o regime em que a empresa se encontra para que ocorra ou não uma retenção de impostos de acordo com
está previsto na lei.

Nova regra do ICMS para NF-es

Essas regras foram criadas para dividir o imposto recebido pelas transações entre os estados envolvidos no processo. Antes eram só as alíquotas internas do estado de destino do produto, mas agora o estado de destino deve receber de forma integral. Essa regra para o recolhimento de ICMS só vale para as empresas que fazem a venda diretamente para o consumidor final. As empresas que fazem parte do Simples Nacional, também, estão incluídas nessa regra. Antes, o ICMS ficava dentro do Simples, porém agora é preciso calcular o valor da diferença das alíquotas entre o estado de origem e o estado de destino do produto para o pagamento do imposto na emissão da nota.

Receba Novidades e Informações Para Otimizar Suas Vendas Nos Marketsplaces
Sim, desejo alavancar as minhas vendas online de forma consistente.
Adriana Duarte
Adriana Duarte
Consulta Comercial
Apaixonada Por E-commerce
Suporte: http://www.markets.com.br/suporte
Comercial: http://www.markets.com.br/contato